sábado, 4 de abril de 2015

Anúncio de Páscoa


Os anúncios pascais eram acesos em círios que se derretiam em homilias vazias de sentido. Chama oca que aquecia os preceitos em detrimento da experiência incrível que é saborear o mundo por meio daquilo que se é e não do que se parece ser.

Para agora, sem círio, sem fogueira nem chama, mas dentro de mim mesmo e para fora daquilo que me oprime, meu anúncio pascal é proclamado e atualizado nas palavras de Guimarães Rosa:

"O Menino não entendia. A mata, as mais negras árvores, eram um montão demais; o mundo.
Trevava.
Voava, porém, a luzinha verde, vindo mesmo da mata, o primeiro vagalume. Sim, o vagalume, sim, era lindo! - tão pequenino, no ar, um instante só, alto, distante, indo-se. Era, outra vez em quando, a Alegria."

Imagem capturada aqui: forum.rise-n-fall.com

Nenhum comentário: